terça-feira, 5 de março de 2013

a bancada da cozinha



estava eu à volta da louça por lavar do dia anterior quando ela desce as escadas e vem ter comigo à cozinha.. os dois ainda vestidos com roupas de trazer por casa.. com caras ainda por lavar e os cabelos todos emaranhados das almofadas.. trocamos um sorriso e começamos numa das nossas conversas matinais.. sem qualquer motivo aparente.. eu enfiei as minhas mãos frias dentro da roupa dela e segurei-lhe no rabo.. aquele rabo nas minhas mãos é algo que me tira sempre do sério.. por completo.. pouco a pouco os nossos corpos começaram a roçar-se.. entre a porta do frigorifico e a bancada da cozinha.. eu cada vez mais duro sentia-a em mim a cada vez que ela se colava à minha cintura.. com bastante força.. sentia-me a latejar da tesão que me invadia e me punha bem duro.. puxei-a para mim abraçando-a pela cintura.. beijei-a sofregamente segurando-lhe ao mesmo tempo os cabelos entrelaçados nos meus dedos e com a outra mão por debaixo da roupa apalpava-a firmemente.. peguei-lhe na cabeça e fiz força para baixo ao que ela imediatamente acedeu e puxando-me as calças para baixo me abocanhou de uma só vez.. a imagem que eu tinha dela vista de cima a engolir suavemente a minha glande enquanto a sugava deixava-me louco.. a sensação daqueles lábios cerrados ao mesmo tempo que me chupava fazia com que eu perdesse a razão e soltasse espasmos e gemidos sem ter qualquer tipo de controlo sobre mim.. adoro.. simplesmente adoro quando ela me chupa assim.. sem noção do tempo que se passou entretanto.. peguei nela e puxei-a para cima.. fazendo com que ficasse debruçada sobre a bancada da cozinha.. baixei-lhe as calças até meio das pernas e entrei dentro daquela cona já bem húmida e quente.. cheio de pressa de a sentir continuei a penetra-la com estucadas intensas e profundas.. o ritmo esse era alucinante e os nossos gemidos loucos ecoavam pela casa.. as minhas mãos percorriam-lhe o corpo por debaixo da roupa.. ora apalpando-lhe o peito.. sentindo os mamilos bem rijos e erectos entre os meus dedos.. percorrendo-lhe as costas.. era delicioso todo aquele momento.. ela de costas para mim debruçada sobre o granito negro.. de cara quase assente na pedra.. o braço esquerdo esticado servia-lhe de apoio ao corpo e essa mão em forma de garra fazia força na bancada que se fosse madeira teria ficado com as marcas das unhas cravadas.. com a mão direita ela pegou na nádega e afastou-a para que eu conseguisse entrar mais fundo dentro dela.. esse foi o ponto sem retorno para mim.. de olhos focados entre a mão dela na nádega e o cabelo que escondia a cara assente no granito.. as minhas mãos subiram até aos ombros dela e o meu ritmo aumento.. intenso e desprovido de qualquer controlo.. fodi-a.. fodi-a como tanto prazer nos dá.. fodi-a até não aguentar mais.. nem queria aguentar.. e vim-me loucamente dentro dela.. entre palavrões.. gemidos profundos.. espasmos que o meu corpo dava louco.. vim-me intensamente dentro daquele sexo que tanto prazer me dá.. lixada e sensual como ela é.. não satisfeita.. começou a contrair-se fortemente e a levantar ligeiramente a anca comigo ainda dentro dela.. sem qualquer controlo continuei a gemer.. caí sobre as costas dela sem qualquer controlo sobre as minhas reações fonte do prazer que ela me estava a dar.. que ela magistralmente me saber proporcionar.. não sei quando tempo durou.. sei que mais uma vez foi um momento de luxuria que me deixou ainda mais a adorar aquele corpo.. aquele cheiro.. a textura daquela pele.. o nosso perfeito e pleno encaixe..

8 comentários:

  1. Esses teus desejos...tornam-se desejos de quem te lê...são vicios...

    Doce Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E ter o desejo como um vicio não me parece nada mal ;)
      Beijo

      Eliminar
  2. Há momentos de desejos tão intensos que simplesmente temos que nos render a eles.
    Beijos e Abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E ao rendermos-nos somos invadidos por sensações únicas;)

      Eliminar
  3. Desejos ... vontades ... tudo à mistura ao ler-te!!!
    Hummmm ...
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tambem eu os sinto ao escrever.. ao viver.. ao recordar.. ao imaginar e desejar..
      Beijo

      Eliminar