domingo, 26 de janeiro de 2014

Ao estremeceres por entre as minhas mãos..


Sinto o teu suculento rabo bem aberto e a minha cabeça latejante a deslizar suavemente para dentro dele sem qualquer esforço.. Recebes-o facilmente com a fome que o teu corpo tem de me sentir e vejo-me a desaparecer por completo por entre as tuas nádegas vermelhas das marcas que as minhas mãos deixaram.. Faço questão de o enfiar todo bem fundo dentro de ti.. Todo bem fundo.. Tu gemes desenfreadamente.. Cada vez num tom mais estridente.. Sinto o teu corpo quente a estremecer por entre as minhas mãos.. E eu deixo-me ficar parado todo enterrado profundamente dentro de ti.. Marco o ritmo apenas com pequenos espasmos meus enquanto saboreio as tuas contracções agora mais intensas e a tua respiração inequivocamente mais pesada.. Hummm.. Delicio-me ao sentir-te assim..

4 comentários:

  1. Eu volto já e faço um comentário decente, agora não consigo com a imagem que se formou :)))

    ResponderEliminar
  2. Uffff mas que texto,é pecado não imaginar tal e qual como está escrito, muito bom !

    Bj Completo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Imaginar e sentir.. Pecado mesmo é não o fazer!!
      Bj

      Eliminar